Charlie Hebdo publica reportagem em quadrinhos sobre crise hídrica em SP
publicado em 04/08/2015 - 11:31

O jornal satírico francês "Charlie Hebdo" publicou uma reportagem em quadrinhos sobre a crise hídrica em São Paulo, assinada pelo cartunista Laurent Sourisseau, conhecido como Riss. Na edição de 22 de julho, o jornalista relata a seca nas represas e alternativas encontradas pela população na estiagem. Ele também critica medidas adotadas pelo governo.

 

Riss, que também é diretor do jornal, esteve na capital paulista no começo do mês de julho para participar do 10º Congresso da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo(Abraji) e pediu para os organizadores do evento que o ajudassem a cobrir a seca na região e entender como a população enfrentava o problema. Durante a visita à cidade de São Paulo, o jornalista visitou uma represa do Sistema Cantareira, a Atibainha. Segundo a Abraji, a viagem foi feita em viaturas blindadas da Polícia Federal e em companhia do grafiteiro Thiago Mundano, que tem acompanhado e retratado a crise. Mundano fez um grafite que "dá as boas-vindas ao 'deserto da Cantareira'".

 

A história em quadrinhos foi publicada na edição nº 1.200 do jornal, de 22 de julho, com chamada de capa. Ela retrata a vida de uma síndica de um prédio na Vila Madalena, na Zona Oeste. Riss cita as medidas adotadas pela Sabesp para estimular a redução do consumo com um programa de bônus e também a redução da pressão na rede durante o dia. O cartunista faz uma crítica em relação à diferente situação enfrentada pelos bairros de classe média e das favelas. Segundo a reportagem, as favelas ficam sem abastecimento por dias, enquanto em outras regiões da cidade os cortes ocorrem apenas durante algumas horas.

 

Riss também relata as técnicas usadas pelo comércio para passar pelos dias de torneiras secas, como trocar copos de vidro por copos de plástico. Em alguns momentos da reportagem, ele faz observações sobre a situação hídrica de São Paulo, que mesmo com torneiras secas, é cortada por grandes rios transformados em esgoto a céu aberto.

 

O jornalista também relatou que durante a visita à represa do Cantareira, o grupo foi vigiado por guardas e retratou o baixo nível dos reservatórios que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo. Já no fim da reportagem, Riss também menciona o fato de a Sabesp ter ações negociados na bolsa de Nova York.

 

Confira matéria completa no G1 São Paulo.

 

 

 

 

Matéria G1 São Paulo

Assessoria de Comunicação ABES DF

Acompanhe as notícias da ABES-DF no Facebook

 

 

(61) 3703-4610
Endereço:
SEPN 506, Bloco D - Ed. Sagitarius Sala 124 CEP: 70740-504 Brasília
Desenvolvido por Nova Mídia Brasília