Entrevista com o Presidente da NOVACAP, Hermes de Paula
publicado em 02/06/2015 - 10:56

No Quadro ABES-DF Pergunta, nosso entrevistado foi o Presidente da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil - NOVACAP, Hermes de Paula. Confira agora tudo sobre sua gestão e os planos que a Novacap teem para melhorar o serviço no Distrito Federal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1) Em 2009 o Senado Federal aprovou o projeto de resolução que autoriza o Governo do Distrito Federal (GDF) a contrair empréstimo de R$ 120 milhões — com a Corporação Andina de Fomento (CAF). O projeto contempla duas frentes de serviço: a reestruturação do sistema de drenagem de água da chuva no Plano Piloto, Taguatinga e Ceilândia e a recuperação de áreas degradadas em cidades do DF. Depois de mais de 5 anos sendo preparado, qual é a previsão para o Programa finalmente ter início? Serão os mesmos objetivos? Quais são os benefícios que se espera obter com as obras que serão executadas no âmbito desse Programa? E em quanto tempo a população irá desfrutar dos benefícios? Quais serão as principais obras em torno dos investimentos envolvidos? A NOVACAP já obteve o licenciamento ambiental dessas obras? Explique os principais obstáculos a serem superados para que desta vez o Programa aconteça.

 

O programa CAF não existe mais. Houve uma demora grande e foi cancelado. O Governo de Brasília está realizando o programa do DF Águas do DF 1 - Plano Piloto e Águas do DF 2 - Taguatinga, com recursos de outras fontes. O governo abriu, no entanto, nova negociação com a CAF para novas obras de drenagem e de saneamento com áreas ainda não definidas, mas que necessitam dessas intervenções. O novo valor que está sendo negociado irá girar em torno de R$ 220 milhões. O tempo de maturação dessa negociação para a efetividade desse financiamento será em torno de um ano, a partir de maio de 2015. Do dinheiro da CAF, portanto, estima-se que só em 2016 poderá ter alguma obra anunciada.

 

2) O DF possui um plano de manejo de águas pluviais, esse plano está sendo utilizado como instrumento condicionante para a realização das obras de drenagem?

 

A Novacap está participando de um grupo multidisciplinar que envolve Novacap, SLU, Caesb, Adasa e a Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, Sinesp, para a conclusão de um plano de manejo de águas pluviais. Este plano dará as diretrizes da forma de tratar as questões relativas às águas pluviais em todo o Distrito Federal e região do entorno, de tal forma que se atenda às mais modernas técnicas de projeto, manejo e qualificação das águas de chuva que deságuam nos corpos hídricos. 

Há que se lembrar que a Adasa já possui normas orientadoras para projetos de rede de drenagem, estruturas de amortização de cheias, bacias de qualidade e estruturas disposição final nos corpos hídricos. Vale dizer que a Novacap adota essas diretrizes orientadoras na concepção de seus novos projetos.

 

3) A Novacap vai ousar em novas tecnologias em material de pavimentação que sejam ambientalmente mais corretos e ajudem na drenagem urbana?

 

A urbanização e ocupação do solo do DF é extremamente dinâmica. Isto tem causado problemas, não generalizados, mas localizados em determinadas regiões do Distrito Federal. Por isso, a Novacap está em processo de revisão de normas e parâmetros de projetos e reestruturação de técnica e de seus equipamentos para enfrentar essa nova realidade, que subtende maior rapidez no período de retorno das águas da chuva, pois o carreamento de materiais sólidos de toda origem deve ser evitado, com as bacias de qualidade, para que não se polua ainda mais os corpos hídricos do DF, notadamente, o Lago Paranoá - que em futuro próximo será utilizado como manancial abastecedor de água potável para a região central e Norte do DF - e os Ribeirões Currais e Pedras, abastecedores de parte de Taguatinga e que também são tributários do Lago do Descoberto. Há que se pensar também na proteção do corpo hídrico do rio Melchior que drena boa parte de Taguatinga, Samambaia e Ceilândia e que, em última análise, é tributário importante do Lago de Corumbá IV, onde a Caesb está em fase de conclusão do sistema de captação de água para abastecimento do DF, especialmente, a região sul/oeste, além do entorno sul, da divisa com Goiás. 

 

4) O DF está passando por uma situação difícil no manejo de águas pluviais, as enchentes são constantes, o que demonstra uma fragilidade no sistema. Como a NOVACAP está se organizando para enfrentar esse desafio?

 

Sim, conforme foi explanado nos itens anteriores, esta inovação faz parte do protocolo para utilização de novas técnicas não só para evitar picos de cheia, assim como melhoria de qualidade das águas pluviais, com a retenção e retirada de sólidos carreados. Evitando assim, a degradação das águas dos corpos hídricos. 

Quanto a nova técnica, como a supressão de meios fios e até de galerias e bocas de lobo, em casos específicos e pontuais, onde se poderá permitir que as águas pluviais fluam e percolem por áreas verdes e terrenos naturais. Essas medidas reduzirão os custos de redes coletoras e de estruturas de drenagem, e os picos de cheia, pois com a percolação dessas águas estaremos realimentando os lençóis freáticos. Tão importantes para o ciclo hidrológico e para recarga dos aquíferos, o que nos levaria a minimizar ou tentar recompor ou reproduzir uma situação natural pré-urbanização.

 

5) Existe um programa de capacitação continuada para os profissionais dessa instituição? Sendo a ABES/DF uma entidade multiprofissional que atua principalmente com a capacitação e o aprimoramento dos profissionais da área, haveria interesse em formar parceria na organização de eventos de capacitação?

 

No momento, o que observamos é certa estagnação do programa de capacitação continuada dos técnicos da Novacap. No entanto, é compromisso desta gestão da Novacap promover uma requalificação dos técnicos e do corpo de servidores da Novacap em busca de uma conscientização institucionalizada para que possamos atender da melhor forma possível o que a sociedade e toda estrutura de governo demandam da Novacap. A direção da empresa está perfeitamente sintonizada com a questão ambiental e de sustentabilidade quando planeja suas ações, portanto, a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES/DF será parceira indispensável nesse período.

 

 

 

 

 

Wanessa Moura

Assessoria de Comunicação ABES/DF

Acompanhe as notícias da ABES-DF no Facebook

 

(61) 3703-4610
Endereço:
SEPN 506, Bloco D - Ed. Sagitarius Sala 124 CEP: 70740-504 Brasília
Desenvolvido por Nova Mídia Brasília